Inteligência artificial na medicina: entenda os impactos na oftalmologia

Voltar para Blog

Compartilhar

Categoria: Blog

A tecnologia já se faz presente na rotina diária da maioria das pessoas, que não passa um dia sem checar suas redes sociais ou usar um aplicativo qualquer em seus smartphones. Essa realidade é resultado direto da ciência e, por isso mesmo, aprender sobre a inteligência artificial na medicina pode ser muito interessante.

Os avanços trazem impressionantes impactos na oftalmologia e em outras especialidades na área da saúde, que estão proporcionando diagnósticos muito mais precisos e perspectivas bem mais animadoras no tratamento de diversas patologias. Continue a leitura e aprenda um pouco mais sobre o tema!

Qual é o conceito de inteligência artificial?

A inteligência artificial é uma área da ciência que busca fazer com que equipamentos computacionais tentem reproduzir a capacidade humana de raciocinar e resolver problemas. Em outras palavras, é uma tentativa de fazer com que máquinas possam pensar e aprender coisas além daquelas as quais foram programadas.

Para conseguir isso, os cientistas usam dados históricos de ações humanas para criar algoritmos e produzir softwares cada vez mais eficientes. Assim, eles adquirem a capacidade de se instruírem sozinhos, sem precisar necessariamente da supervisão de uma pessoa. Embora isso possa soar como ficção, essa tecnologia já existe e é aplicada.

Quais as vantagens da inteligência artificial na medicina?

Auxílio nos diagnósticos

Não é difícil perceber que, se os cientistas estão tentando mimetizar o aprendizado humano em máquinas e aparelhos, eles poderão ser de grande contribuição para a prática clínica e a obtenção de diagnósticos mais precisos. O Registro IRIS, sigla para Intelligent Research in Sight, é um bom exemplo disso.

Ele pertence à Academia Americana de Oftalmologia e trata-se do primeiro banco de dados com resultados oftalmológicos, oriundos de prontuários eletrônicos de milhões de pacientes. Com isso, médicos têm acesso a informações colhidas no pré-atendimento e achados na consulta oftalmológica, que podem gerar sugestões de conduta.

Possibilidade de atendimento remoto

O atendimento remoto cresce no mundo inteiro, uma vez que, o avanço da tecnologia possibilita que haja a transmissão de dados e imagens, em tempo real, com boa qualidade de resolução. Com isso, a telemedicina permite, por exemplo, que alguém que esteja isolado em uma floresta ou área distante possa ser consultado.

Existem diversos locais que não possuem disponibilidade de recursos e a oferta de sistemas computadorizados para apoio às decisões clínicas são uma alternativa muito interessante, que deve ser postulada em função do seu potencial impacto social positivo, quanto à saúde geral e ocular das comunidades.

Equipamentos mais eficientes

Por fim, não dá para falar da inteligência artificial na medicina sem citar da criação de equipamentos menores e mais eficientes. Na oftalmologia, por exemplo, já temos uma série de dispositivos vestíveis, como as lentes de contato que monitoram a pressão ocular.

A expectativa é que haja a criação de outros equipamentos do gênero, que possibilitem ações automatizadas, baseadas em tecnologia de ponta que podem provocar, por exemplo, variações nas doses ou na frequência de medicamentos, em tempo real, de acordo com as características e respostas dos pacientes.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a inteligência artificial na medicina? Então, deixe o seu comentário aqui no blog dando sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog
Open chat